Funcionários da Febem mantém greve e fazem marcha de protesto

Ao mesmo tempo que funcionários da Febem fazem marcha de protesto pelo Zona Leste de São Paulo, a assessoria de imprensa da fundação divulga um balanço da paralisação da categoria, que entrou hoje no terceiro dia. Na Unidade de Franco da Rocha, o índice de paralisação continua em 100%. No Complexo ´Franquinho´, que reúne as Unidades 21, 25 e 29, 30% dos empregados aderiram à greve. Na Unidade Tatuapé, zona leste da capital paulista, a paralisação atingiu hoje 50%. Já no Complexo Raposo Tavares, 30 % dos funcionários cruzaram os braços nas Unidades 27 e 28. Nas Unidades 22 e Pirituba, zona oeste da capital paulista, que também integram esse complexo, não há registro de paralisação. Nas demais unidades da Febem na cidade e no interior do Estado, o funcionamento é normal. Amanhã, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) deverá julgar a greve dos trabalhadores da Febem. Eles reivindicam, entre outras coisas, maior segurança no trabalho e menos internos nas unidades.Cerca de 300 funcionários da Febem estão fazendo um protesto em frente à Unidade Tatuapé, na Avenida Celso Garcia, zona leste de São Paulo. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os manifestantes ocupam a calçada e a faixa da direita, provocando lentidão no local. Daqui a pouco, os trabalhadores devem sair em passeata rumo à Unidade Brás, também na zona leste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.