Funcionários da Sabesp entram em greve à meia-noite

Os 18 mil funcionários da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) vão cruzar os braços a partir da meia-noite desta quarta-feira por tempo indeterminado.Eles garantem que os serviços essenciais - como abastecimento, qualidade e quantidade de água -, e de emergência serão mantidos. A greve, decidida nesta quarta-feira por unanimidade, foi motivada pelo descumprimento do acordo coletivo feito pela empresa, que pagaria a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) este ano. "A primeira parcela deveria ter sido paga em setembro", disse Elisabeth Tortolano, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Sintaema). Segundo ela, a PLR significa um salário a mais por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.