Funcionários da Transcooper serão velados nesta sexta-feira

Os corpos do motorista Reinaldo Aparecido Leite, de 40 anos, e do cobrador Wescley Adriano da Silva, de 22 anos, funcionários da cooperativa Transcooper, que estavam na van soterrada na cratera da futura Estação Pinheiros da Linha 4-Amarela do Metrô, serão velados nesta sexta-feira, 19.O motorista será sepultado durante a tarde na capital paulista. Já o corpo do cobrador será velado em Guarulhos e levado depois para Natal, no Rio Grande do Norte, onde será enterrado.AçãoA Transcooper ingressou na quinta-feira com uma medida cautelar no Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo solicitando uma liminar para a suspensão das obras e a anulação do contrato assinado entre a Companhia do Metropolitano e as empresas do Consórcio Via Amarela. O pedido foi distribuído à tarde para o juiz Luiz Paulo Aliende, da 5ª Vara da Fazenda Pública do TJ.O advogado da Transcooper, Bension Coslovsky, fundamentou a "medida cautelar preparatória de ação popular" com o argumento de que a metodologia na construção da obra "não se adaptou ao local". A região da futura estação é uma área de várzea de rio, com solo fragmentado e arenoso com rochas mais duras na profundidade. Coslovsky anexou no seu pedido de liminar entrevistas concedidas nos últimos dias por geólogos e engenheiros condenando o método construtivo, que optou por túneis e não pontes.O advogado pede que o juiz determine peritos independentes para descobrir as causas do acidente e permita a representantes da Transcooper acompanhar o trabalho. "Queremos assegurar a participação das vítimas no estudo técnico para descobrir as causas do acidente." A Assessoria de Imprensa do Metrô não comentou a ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.