Funcionários de duas rádios são feitos reféns no Rio

As rádios Tupi AM e Nativa FM foram retiradas do ar durante a madrugada de hoje por um grupo de assaltantes que invadiu o prédio, no Centro da cidade, para roubar um caixa eletrônico. Quarenta funcionários foram mantidos reféns durante duas horas. Os criminosos ameçavam matar a todos com uma granada, caso não conseguissem uma picape para a fuga. Com a chegada da polícia, o bando deixou o prédio, onde funciona ainda o Jornal do Commercio. Eles não conseguiram levar o caixa eletrônico.O estagiário Bruno Rodrigues, de 23 anos, filho do comunicador Washington Rodrigues, o Apolinho, foi rendido quando deixava a rádio. "Fui trancado numa sala com outras 40 pessoas. Quando eles perceberam que ninguém tinha uma picape, começaram a nos ameaçar. Eles diziam que explodiriam uma granada", contou o estudante, que foi vítima de outra tentativa de assalto, no fim da madrugada, quando chegava em casa no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste.Os criminosos tentaram usar o carro de Bruno para fugir com o cofre do caixa eletrônico. "Recrutaram homens que eles diziam ter ?cara de peão? para carregar o cofre. Tentaram colocar no meu carro, mas o cofre não entrava. Além disso, o carro não agüentou o peso e a suspensão quebrou".Nesse momento, policiais militares chegaram ao prédio. Eles foram acionados pelo Bradesco, dono do caixa eletrônico. O alarme do esquema de segurança soou em São Paulo no momento em que os criminosos retiraram o cofre. Os assaltantes levaram celulares e dinheiro dos funcionários e fugiram em direção ao Morro da Providência, que fica encostado ao prédio assaltado.Um dos integrantes do bando, Denilson Francisco de Oliveira, de 24 anos, foi preso com partes do maçarico usado pelos criminosos para tentar abrir o cofre. O diretor-financeiro das rádios, Nelson Gimenez, disse que a segurança não será reforçada, mas que o caixa eletrônico será retirado do prédio. A polícia investiga a participação de funcionários ou ex-funcionários no crime. Os assaltantes sabiam que o cofre estava no quarto andar.

Agencia Estado,

10 de julho de 2004 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.