Funcionários denunciam falta de manutenção

Superintendente nega e diz que tudo o que foi pedido pela Prefeitura está pronto ou sendo feito

O Estadao de S.Paulo

26 de dezembro de 2007 | 00h00

A direção do Hospital das Clínicas passou o dia tentando entender os motivos do incêndio no Prédio dos Ambulatórios. Para funcionários do HC, no entanto, falta de manutenção e demora nas adequações pedidas pelo Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) e pelos bombeiros podem explicá-lo. Segundo o ex-diretor do Instituto Central do HC, Waldemir Rezende, muito tempo se passou desde a identificação dos problemas e a adoção de medidas efetivas. Ele diz que, assim que soube dos laudos, em 2005, iniciou a reforma no ambulatório e no Instituto Central. A começar pela troca da fiação elétrica dos dois prédios.Essa necessidade já havia sido identificada por funcionários da informática, ao notarem constantes oscilações de corrente elétrica. O projeto inicial de reforma nos prédios previa, além da troca de fiação, instalação de mais portas corta-fogo (com barras antipânico) e sensores de incêndio. "Esse projeto acabou passando para as mãos do Núcleo de Engenharia e Arquitetura, diretamente ligado à Superintendência do Hospital das Clínicas", afirma Rezende. "Daí por diante, não sei o que aconteceu."Uma funcionária da administração, que prefere não se identificar, confirma a demora. Mas o superintendente do HC, José Manoel Teixeira, discorda. "Do que foi pedido, ou já foi feito ou está em andamento. Não posso dizer que cabo ou quantos foram trocados. É uma questão que será investigada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.