Funcionários municipais denunciados por corrupção em SP

MPF O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça mais três ex-funcionários municipais acusados de corrupção no governo anterior. Os três, dos quais dois são ex-administradores regionais, foram denunciados no início da semana por crime de sonegação fiscal. A investigação sobre as contas bancárias dos acusados revelou uma movimentação financeira muito superior ao que foi declarado à Receita.É o caso do ex-administrador regional da Lapa, GilbertoTrama. Segundo os auditores da Receita, ele sonegou, entre 1998 e2001, R$ 306 mil, em valores atualizados. O engenheiro Omar de Castro, que comandou a regional do Jaçanã-Tremembé,sonegou R$ 301 mil entre 98 e 2000. A terceira denunciada, a arquiteta Elizabeth Cristina de Oliveira, que também trabalhava no Jaçanã-Tremembé, deixou de pagar ao fisco, no mesmo período, R$ 93 mil.Para o MPF, a sonegação e o dinheiro movimentado nas contas bancárias, são indícios de corrupção enquanto os trêsestiveram na Prefeitura. Todos foram investigados durante a máfia dos fiscais - rede de corrupção na administração investigada pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual (MPE). Trama ficou preso durante 10 dias, em 1999, para explicar sobre um suposto esquema de cobrança de propina na regional da Lapa.

Agencia Estado,

14 de janeiro de 2004 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.