Fundação Pró-Sangue retoma coleta no Hospital das Clínicas

Posto ficou 15 dias fechado por causa de incêndio

Marcela Spinosa, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

11 de janeiro de 2008 | 00h00

Depois de 15 dias parado, o posto de coleta da Fundação Pró-Sangue no Prédio dos Ambulatórios do Hospital das Clínicas, na zona oeste de São Paulo, voltou a funcionar ontem. A instituição, no primeiro andar do edifício do HC, estava sem energia elétrica desde o incêndio que atingiu o prédio na véspera do Natal. Com uma média de aproximadamente 500 bolsas de sangue coletadas por dia, o número de captação caiu pela metade durante o período em que a fundação ficou fechada.Nesse período, o posto local da Pró-Sangue absorveu somente a demanda dos pacientes da unidade. Os doadores foram orientados a procurar os outros três postos do maior hemocentro da América Latina, que ficam nos Hospitais Mandaqui, Dante Pazzanese e Regional de Osasco. Já as máquinas que fazem a coleta de hemocomponentes (plaquetas, plasma, hemácias e glóbulos vermelhos)foram levadas para o Instituto do Coração (Incor), onde os voluntários foram atendidos.O HC responde normalmente por 60% das 15 mil bolsas de sangue coletadas e processadas mensalmente nos quatro postos da fundação. O número corresponde a 9 mil bolsas recolhidas por mês na unidade. "Ficamos preocupados com o abastecimento porque nenhum outro hemocentro tem a capacidade de coleta que nós", disse a chefe de divisão de medicina transfusional, Aline Monteiro. "Felizmente não faltou sangue para ninguém", comemorou.Quem também comemorou a reabertura foi a cozinheira Mônica Cabrera Lepratti, de 38 anos. "Doo a cada três meses e queria que a unidade abrisse logo, porque já estava na hora de doar novamente", contou ela que doa sangue há mais de 20 anos. "Enquanto tem um monte de gente que precisa, em mim está sobrando", completou.Houve também quem foi doar pela primeira vez, como o contador Edvaldo Francisco do Carmo, de 37 anos. "Sempre tive vontade, mas faltava oportunidade e conhecimento", afirmou. Ele chegou até o posto da fundação por meio do amigo Maurício Gonçalves, de 39 anos. "Faço o marketing da unidade porque com a doação você faz bem, sem saber a quem."Assim como na Pró-Sangue, a energia elétrica já foi restabelecida na metade do Prédio dos Ambulatórios do HC. A assessoria de Imprensa da unidade, porém, não quis informar em quantos andares do edifício se retomou a rotina. A previsão é de que as obras de recuperação do edifício terminem este mês.Para doar sangue, é preciso ter entre 18 e 65 anos, pesar no mínimo 50 quilos, apresentar documento de identidade original, estar alimentado e em boas condições de saúde. Para informações sobre como doar e endereços dos postos, basta entrar em contato com o Disque Pró-Sangue, 0800-55-0300, ou acesse o site www.prosangue.sp.gov.br. A doação de sangue pode ser agendada pela internet ou por telefone.D

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.