Fundador do maior bloco de carnaval do mundo morre

Foi enterrado na tarde de ontem, no cemitério Parque das Flores, no Recife, o fundador do Clube de Máscaras Galo da Madrugada, Enéas Alves Freire. O carnavalesco, de 86 anos, foi internado na terça-feira , para colocar uma prótese no joelho direito. Após complicações, foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva e teve parada cardiorrespiratória. Um estandarte do Galo da Madrugada foi colocado sobre seu caixão. Para o governador Eduardo Campos (PSB), Enéas marcou a história de Pernambuco com o espetáculo de alegria que construiu. "Um espetáculo onde o povo pode brincar, um espetáculo efetivamente democrático, participativo, calcado nos nossos valores culturais." Claudionor Germano, um dos maiores cantores do carnaval pernambucano, disse que o legado deixado por Enéas vai continuar. "Vamos fazer seu Galo cantar cada vez mais alto." Casado com Maria do Carmo Travassos, presidente do Bloco das Ilusões, Enéas nasceu em 2 de dezembro de 1921, no Recife. Desde criança, amava o carnaval, acompanhando os blocos e troças que desfilavam nas ruas. Em um momento em que a folia recifense estava descaracterizada, Enéas criou o Galo da Madrugada, visando a resgatar tradições e o carnaval de rua, sempre ao som do mais legítimo frevo. O primeiro desfile, no centro da capital, em 1978, contou com 75 foliões. Em 1995, entrou para o livro dos recordes, por atrair mais de 1 milhão de pessoas no sábado de carnaval.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.