Fundador e ex-integrante do PCC é assassinado

Depois de escapar de várias tentativas de assassinato, o detento Cesar Augusto Roriz, o Cesinha, de 39 anos, foi morto neste domingo, por volta das 10h30, na penitenciária de segurança máxima de Avaré, para onde foi levado recentemente. Cesinha foi um dos fundadores do Primeiro Comando da Capital (PCC), nos anos 90, e permaneceu na facção criminosa até novembro de 2002, quando foi expulso e jurado de morte juntamente com José Márcio Felício dos Santos, o Geleião. No lugar de ambos ficou Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola. Cesinha e Geleião foram acusados de radicalismo e, fora do PCC, criaram o Terceiro Comando da Capital (TCC), uma facção rival da primeira.Roriz foi morto com golpes de um cabo de vassoura transformado em espeto e em seguida foi asfixiado com uma "teresa" - corda feita com lençóis e geralmente usada por presos para escalar paredes e muros. Paulo Henrique Bispo da Silva, outro detento, assumiu a autoria do crime e foi autuado em flagrante. A penitenciária 1 de Avaré, onde ocorreu o crime, foi transformada no ano passado em regime diferenciado para receber presos de alta periculosidade. Por causa das diferenças entre as duas facções, já houve represálias. No mês passado, o detento Carlos Roberto Barbosa foi morto por membros do TCC, na penitenciária 1 de Sorocaba porque, segundo informaram os próprios detentos, estava ali com a missão de executar Cesinha.Embora tenha assumido a morte de Cesinha, a polícia e a administração penitenciária não informaram se Paulo Henrique Bispo da Silva agiu por conta própria ou se estava por ordem do PCC. Essas informações serão investigadas durante o inquérito. Agentes penitenciários disseram que o episódio não alterou a rotina da prisão e as visitas continuaram liberadas.Ampliada às 18 horas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.