Furacão ainda causa cancelamentos de voos entre EUA e Brasil

De acordo com a American Airlines, companhia aérea cuja maioria dos pousos foi cancelada, os números mostram que ainda há medidas de segurança por conta dos ventos que incidem sobre a América do Norte

01 Novembro 2012 | 13h45

SÃO PAULO - Dois dias depois da passagem do furacão Sandy pela Costa Leste dos Estados Unidos, os voos entre o país que partem e aterrissam nos principais aeroportos do Brasil ainda sofrem cancelamentos nesta quinta-feira, 1, véspera de feriado nacional. De acordo com a American Airlines, companhia aérea cuja maioria dos pousos foi cancelada, os números mostram que ainda há medidas de segurança por conta dos ventos que incidem sobre a América do Norte.

Confira abaixo a situação dos pousos e decolagens, entre os Estados Unidos e o Brasil, nos principais aeroportos do País:

Cumbica (SP)

O Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica), em São Paulo, tem, no total, sete chegadas e sete partidas entre o Brasil e os Estados Unidos nesta quinta, diz a Infraero.

Três pousos foram cancelados: um voo da Delta Airlines, outro da American Airlines e mais um da United, todos que deveriam ter decolado de Nova Iorque. Já pousaram nesta manhã, sem atrasos, um avião da TAM Linhas e um da United, vindos de Washington. Até a noite desta quinta, ainda há outros dois pousos previstos: da TAM e da American, direto de Nova Iorque.

Dois aviões já deixaram Guarulhos, sem complicações, no início desta quinta, - um da TAM e outro da American, ambos com destino à Nova Iorque. Os demais voos - dois da United Airlines (para Nova Iorque e Washington), um da Delta Airlines, outro da American e mais um da  TAM - estão sem previsão de cancelamento e devem ocorrer normalmente.

Galeão (RJ)

O Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, tem oito decolagens agendadas para hoje e seis pousos previstos entre Brasil e EUA.

De acordo com a Infraero, apenas uma partida foi cancelada: um avião da American Airlines que deveria ter decolado com destino à Miami. Um segundo voo, com o mesmo destino, já foi confirmado pela companhia.

Há outros quatro pousos previstos - um da Delta, de Atlanta, outro da Continental Airlines, de Houston, mais um da United, de Washington e um da TAM, de Miami.

Apenas uma decolagem, das oito previstas, está confirmada do Aeroporto do Galeão, nesta manhã: o voo da Copa Airlines, que parte para Panama City às 12h47. Os demais voos - dois da TAM, para Miami e Nova Iorque, um da United, para Washington, um da American, para Miami, mais um da Delta, para Atlanta, outro da US Airways, para Carolina do Norte e um da Continental, para Houston - estão previstos.

Juscelino Kubitschek (DF)

Dois pousos e duas decolagens, entre os EUA e o Brasil, estão previstos no Aeroporto Internacional do Distrito Federal, em Brasília para esta quinta. A Infraero afirma que um avião da Delta deve decolar com destino à Atlanta e depois voltar à Brasília ainda hoje. Outro voo, da Copa Airlines, deve também ir e voltar de Atlanta nesta quinta. Os dois voos estão previstos pelas companhias aéreas.

Resolução. Nesta quinta, entrou em vigor a Resolução 253, que permite a elevação, em até mil vezes, do valor das multas a serem aplicadas às companhias aéreas que não prestarem assistência adequada aos passageiros em casos de atrasos e cancelamentos de voos. As infrações que podem determinar a multa são todas aquelas que possam causar dano à prestação de serviço aos usuários. A decisão foi publicada, também nesta quinta, no Diário Oficial da União.

Os novos valores, de acordo com a Anac, poderão chegar a R$ 20 milhões por infração. O valor máximo previsto antes desta resolução era de até R$ 20 mil por multa.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o passageiro deve receber toda a assistência merecida e determinada por lei - Resolução 141 de 2010 - em caso de atrasos e cancelamentos.

Caso ocorra atraso de algum voo, a companhia aérea deve oferecer ao passageiro acesso à comunicação - a partir de uma hora de atraso - e à alimentação - a partir de duas horas de atraso.

Passadas quatro horas de adiamento do voo, o passageiro deve receber acomodação ou acesso a um translado para aqueles que estiverem na localidade da residência. Caso o voo seja cancelado, o usuário tem duas opções: reacomodação em outro voo ou reembolso - do valor integral pago - da passagem aérea.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.