Furnas diz que não foi responsável por apagão

Furnas Centrais Elétricas divulgou hoje nota dizendo que não teve qualquer responsabilidade no evento que suspendeu o fornecimento de energia elétrica ontem em dez Estados e no Distrito Federal. Segundo o texto, a empresa fez um "minucioso rastreamento" de suas dez usinas hidrelétricas, duas termelétricas, 43 subestações e em mais de 18 mil quilômetros de linhas de transmissão operadas pela empresa, e conclui que nenhuma anormalidade fora encontrada no sistema.Eis a íntegra da nota da empresa: "Furnas Centrais Elétricas S.A., com 45 anos de serviços prestados ao desenvolvimento do país, vem a público esclarecer que não teve qualquer responsabilidade no evento que suspendeu o fornecimento de energia elétrica na última segunda-feira em 10 estados e no Distrito Federal, e acrescenta: logo após a deflagração do fato, e como sempre ocorre em episódios dessa natureza, Furnas promoveu um minucioso rastreamento de suas 10 usinas hidrelétricas, duas termelétricas, 43 subestações e em mais de 18 mil km de linhas de transmissão operadas pela Empresa, concluindo que nenhuma anormalidade fora encontrada no sistema.Estas informações acabaram corroboradas posteriormente pelo ministro de Minas e Energia e o diretor-presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico, que anunciaram a fonte do problema, localizada no rompimento de um cabo na linha de transmissão entre a usina de Ilha Solteira e a subestação de Araraquara, em São Paulo, operadas pela Companhia Transmissora de Energia Elétrica Paulista (CTEEP).Vale lembrar que o blecaute ocorrido em 11 de março de 1999, que alguns veículos vincularam a uma falha em suposta subestação de Furnas em Baurú (SP), também não corresponde à verdade. Furnas não possui subestação em Baurú e aquele episódio foi deflagrado em uma subestação da Companhia Transmissora de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), localizada em Baurú.Furnas, cuja competência técnica é reconhecida internacionalmente e motivo de orgulho para a população e a engenharia do Brasil, reafirma sua disposição de continuar a enfrentar os desafios de gerar e transmitir energia para 49% das famílias brasileiras e a um parque industrial que responde por 68% do Produto Interno Bruto nacional, com responsabilidade social e respeito ao meio ambiente."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.