Furnas perdeu R$ 10 milhões em consórcio de usina, aponta CGU

Segundo auditoria, troca de sócio e não emissão de títulos causaram prejuízo; órgão pede processo para punir responsáveis

ANDREA JUBÉ VIANNA / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2011 | 03h04

Auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) que investigou denúncias de irregularidades na empresa Furnas Centrais Elétricas, ligada à Eletrobrás, constatou perdas para a estatal estimadas em R$ 10 milhões.

Segundo o relatório divulgado ontem, os prejuízos decorrem da participação de Furnas no consórcio para construção da usina hidrelétrica de Serra do Facão, na divisa entre Goiás e Minas Gerais, que entrou em operação no ano passado.

O relatório da CGU aponta que a aprovação do novo modelo societário da Serra do Facão Participações S.A. não previa análise jurídica e econômica do novo empreendedor - que substituiu a Oliveira Trust Service no negócio - e isso resultou em prejuízo de R$ 8,4 milhões. O novo sócio teve o cadastro rejeitado pelo BNDES, o que dificultou o empréstimo do banco para viabilizar a obra.

A CGU ainda apontou perdas de R$ 1,6 milhão por causa da retirada de pauta e não aprovação da primeira emissão de 14 mil títulos da Serra do Facão Participações S/A.

Os auditores não verificaram prejuízo no fato de Furnas não ter exercido direito de compra das ações da Oliveira Trust por R$ 5 milhões e, sete meses depois, adquirir parte da empresa por R$ 80 milhões. Furnas alegou que a empresa se valorizou após um aporte de R$ 75 milhões.

A CGU recomendou à direção de Furnas abertura de processos administrativos para punir os responsáveis e encaminhou cópia do relatório ao Ministério das Minas e Energia, à Casa Civil, ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.