Futura ministra é antiga aliada do PT no ABC paulista

Miriam participou do governo de Santo André, na gestão de Celso Daniel, com quem foi casada por dez anos

Leonencio Nossa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

24 Novembro 2010 | 00h00

Convidada para ocupar o Ministério do Planejamento no próximo governo, Miriam Belchior, de 52 anos, é uma antiga aliada do Planalto. Foi na transição, em 2002, que ela estreitou os laços com o presidente Lula e Dilma Rousseff. Formada em Engenharia de Alimentos pela Unicamp e com mestrado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas, Miriam é oriunda dos movimentos sociais e do PT no ABC paulista.

No Planalto, atuou na unificação dos programas de transferência de renda, esteve cotada para assumir a Casa Civil com a saída de Dilma e, nos últimos meses, coordenou as ações do PAC.

Em Santo André, Miriam participou do governo do prefeito Celso Daniel, assassinado em 2002, com quem foi casada por dez anos. Ela chefiou as secretarias de Administração e Moradia, além de coordenar a área social. Também tornou-se amiga pessoal de Gilberto Carvalho. O nome de Miriam é uma das apostas do grupo de Carvalho e do próprio Lula para disputar a prefeitura de Santo André em 2012.

Auxiliares do Planalto avaliam que o impacto da morte de Celso Daniel e a repercussão de um suposto esquema de corrupção na prefeitura para alimentar o PT impediram que Miriam ocupasse cargos de destaque no governo Lula. Uma das auxiliares mais próximas do presidente, ela sempre atuou de forma reservada e discreta, ainda que em trabalhos considerados importantes por Lula. Com a queda de Erenice Guerra da Casa Civil durante a campanha eleitoral, Miriam foi sondada para ocupar a pasta. Mas permaneceu no cargo de assessora para evitar que o caso Celso Daniel viesse à tona.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.