EFE/STR
EFE/STR

Fuzil AK-47 é encontrado e mais 4 são presos por megarroubo no Paraguai

No total, já estão detidos 14 suspeitos de um total de cerca de 50 que participaram do assalto milionário à Prosegur em Ciudad del Este

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

26 Abril 2017 | 09h24

SÃO PAULO - As buscas aos responsáveis pelo assalto milionário à sede da transportadora de valores Prosegur em Ciudad del Este, no Paraguai, levaram à prisão de mais quatro homens e apreensão de um fuzil AK-47 na madrugada desta quarta-feira, 26. No total, 14 suspeitos já estão presos, todos brasileiros, conforme o balanço mais recente divulgado pela Polícia Federal de Foz do Iguaçu, no Paraná, onde está centralizada a investigação.

Duas das novas prisões foram conduzidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município de Laranjeiras do Sul, no centro-sul do Paraná. Os dois homens tentavam embarcar em um ônibus para Curitiba. Já em Santa Helena, no oeste do Estado, os suspeitos viajavam em um carro blindado.

Além do fuzil, com capacidade de 600 tiros por minuto, outras armas e uma metralhadora capaz de derrubar helicópteros já haviam sido apreendidas. Barcos, veículos e parte do dinheiro roubado também foram recuperados com os suspeitos.

Nesta terça-feira, 25, a prisão de um paulistano foragido de um presídio dominado Primeiro Comando do Capital (PCC) reforçou a suspeita das polícias brasileira e paraguaia de que a organização tenha sido responsável pelo ataque. Ele seria o líder do grupo que planejou a ação na fronteira com o Paraná. Nos interrogatórios iniciais, os presos vêm reivindicando o direito de permanecer calados.

A PF acredita que a ação tenha envolvido até 50 criminosos. As operações de buscas continuam em toda a região de fronteira, com participação de 800 agentes de órgãos de segurança dos dois países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.