Gabeira e Jungmann pedem acompanhamento do caso <i>Veja</i>

Os deputados Raul Jungmann (PPS-PE) e Fernando Gabeira (PV-RJ) divulgaram nota, nesta quarta-feira, afirmando que a liberdade de imprensa e expressão no Brasil está ameaçada por uma série de pequenos fatos. A nota menciona fatos mais recentes, como o denunciado pela revista Veja de que três de seus repórteres teriam sido constrangidos, intimidados e coagidos na Polícia Federal de São Paulo, durante depoimento."Entendemos que os órgãos de imprensa são livres para expressar suas posições e lembramos que essa defesa nós a fizemos também no período da ditadura militar, quando as forças que ameaçavam a liberdade de expressão se situavam à direita no espectro brasileiro", diz o texto.Em nome dos seus partidos, os dois deputados pediram ao presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que determine o acompanhamento parlamentar do caso, por envolver liberdades constitucionais básicas.O PPS vai apresentar também um requerimento na Comissão de Direitos Humanos, na Câmara, para que seja feita uma audiência pública com representantes de entidades representativas de setores da imprensa para debaterem o assunto. Em discurso no plenário, Gabeira disse que, como jornalista, lutou contra a ditadura e presenciou vários "golpes" em redações de jornais. "Sempre tivemos uma preocupação muito grande com a liberdade de expressão, que deve existir não só contra a vontade de governos de direita, mas também contra a vontade de governos de esquerda", afirmou Gabeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.