Galo da Madrugada se torna patrimônio imaterial no Recife

Bloco, famoso por atrair milhares de pessoas, faz seu 32.º desfile neste sábado pelas ruas do centro do Recife

Angela Lacerda, O Estado de S.Paulo

20 Fevereiro 2009 | 19h02

Imponente e colorido, com sombrinha de frevo e cartola, um galo de 32,5 metros e seis toneladas, símbolo do Clube de Máscaras Galo da Madrugada, reina desde a manhã desta sexta-feira, 20, sobre a Ponte Duarte Coelho, no centro do Recife, pronto para conferir o 32.º desfile da agremiação, que deve reunir mais de um milhão de pessoas a partir das nove horas de sábado, 21. O Galo está no Livro dos Recordes como o maior bloco de rua do mundo e ostenta agora o título de patrimônio cultural e imaterial de Pernambuco.    Aprovado pela Assembleia Legislativa, o título foi sancionado nesta sexta, no Palácio do Campo das Princesas, pelo governador Eduardo Campos. "O Brasil tem muitas formas de brincar o carnaval, mas a forma mais democrática ocorre em Pernambuco, onde cada um brinca como pode, sem apartheid", disse ele, ao lado do presidente da agremiação, Rômulo Menezes, para quem o Galo "materializa o espírito carnavalesco que existe no recifense".    Veja também: Caetano Veloso e maracatus abrem carnaval do Recife Polícia investiga golpes na venda de abadás em Salvador Galeria - Fotos com a preparação no Anhembi Galeria - Fotos com a preparação na Sapucaí   Blog: dicas para quem quer curtir e para quem quer fugir da folia   Enéas Freire, fundador da agremiação, morto em junho do ano passado, aos 86 anos, é o grande homenageado do desfile, que tem por tema "Enéas, alegria do carnaval". Um boneco gigante de 12,5 metros de altura retratando a figura do carnavalesco foi montado na praça Sérgio Loreto - que integra o trajeto de 4,5 quilômetros a ser cumprido - e um outro, articulado, de 3,4 metros, confeccionado pelo bonequeiro olindense Silvio Botelho, estará entre os foliões. Fotos de Enéas também farão parte da decoração do carro abre-alas.   Quando fundou a agremiação, em 1976, Enéas tinha o objetivo de revigorar o carnaval de rua da cidade. A brincadeira caiu no gosto dos foliões e desde então só fez crescer. No sábado, 23 trios elétricos transportarão orquestras de frevos, cantores e bandas, a exemplo de Elba Ramalho, Alceu Valença e Asas da América, encarregados de animar a multidão, numa festa que só deve terminar depois das 17 horas. Muita gente prefere curtir o Galo em camarotes instalados no percurso - ruas Imperial, da Concórdia e do Sol e avenidas Guararapes e Dantas Barreto. Outros acompanham em barcos pelo Rio Capibaribe. A maioria segue no chão.   O esquema de segurança instalado para proteger a folia inclui 30 câmeras, detectores de metais e 536 policiais civis, do Corpo de Bombeiros e policiais militares do Batalhão de Choque, além dos seguranças contratados pela agremiação. Pelo segundo ano consecutivo, o desfile do Galo contará com o Juizado do Folião, que reúne juízes, promotores e defensores públicos com o objetivo de julgar, de imediato, crimes de menor potencial ofensivo, como brigas, agressões, provocação de tumulto, dano ao patrimônio público e atos obscenos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.