Garçom é preso com 28 mil fotos de sexo entre crianças

Uma investigação de pirataria em computadores levou a polícia do Paraná a descobrir uma possível rede de pedofilia. Duas pessoas foram presas hoje de manhã. Nas casas delas e nos computadores que possuíam foram descobertas cerca de 28 mil fotografias e clipes com crianças e adolescentes nuas ou mantendo relações sexuais sob diferentes formas, entre elas ou com adultos. A polícia investigará dezenas de nomes de uma agenda, alguns deles com os pedidos anotados, encontrada com um dos presos.O ex-garçom Maycon Franco Sad de Souza, 24 anos, e seu sócio Oclair Correia, 23 anos, já vinham sendo investigados desde o ano passado pela Delegacia de Crimes contra a Administração Pública por falsificação de programas de computador. Quando os policiais foram examinar um dos computadores apreendidos, encontraram 7,5 mil fotos de crianças e adolescentes em atos obscenos. Com um mandado de busca e apreensão, foi encontrado mais um computador no apartamento de Souza, com cerca de 21 mil fotos e clipes, além de vários CDs já gravados com o intuito de venda. O ex-garçom foi preso, enquanto seu sócio foi detido em Almirante Tamandaré.Hoje à tarde, quando as notícias sobre essas prisões foram divulgadas, a polícia recebeu outras denúncias contra pessoas que supostamente estariam comercializando CDs com cenas de sexo entre crianças.O artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê como crime fotografar ou publicar cenas de sexo explícito ou pornografia envolvendo crianças e adolescentes, estabelece pena de um a quatro anos de reclusão. O delegado Guaraci Juarez de Abreu já observou que muitas das fotos foram copiadas da Internet. Agora ele está tentando, por meio da perícia, descobrir se algumas teriam sido produzidas pelos próprios acusados, o que poderia aumentar a pena. Segundo o delegado, há indícios de que algumas fotos poderiam ter sido feitas no litoral paranaense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.