Garotinho assume pedindo voto de confiança à população

Para vencer a onda de violência no Rio, o futuro secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, o ex-governador Anthony Garotinho, anunciou hoje algumas medidas para controlar a polícia. Garotinho, que toma posse nesta segunda-feira às 11h no cargo, quer a criação de um regimento disciplinar na Polícia Civil e anunciou a a criação de um banco de números telefônicos suspeitos para evitar que policiais grampeem telefones irregularmente. A idéia é evitar que sejam incluídos números sem relação com nenhuma investigação legal nos pedidos à Justiça de quebra de sigilotelefônicos. Os dados do banco serão fornecidos ao Judiciário. ?Fica na mão do juiz que poderá ver: não há porque quebrar o sigilo deste aqui,já quebrou três vezes e não achou nada?, exemplificou Garotinho. O superintendente da Polícia Federal no Rio, Marcelo Itagiba, que serásubsecretário estadual de segurança, informou que serão estabelecidos critérios de controle para os pedidos de grampo. As áreas de inteligência das polícias serão integradas e funcionarão sob a coordenação de Itagiba. Recursos - O futuro subsecretário fez sugestões já aceitas por Garotinho e Rosinha, como alternativas para aumentar a quantidade deperitos e médicos legistas à serviço da Secretaria. Uma delas é o convênios com universidades, para trazer, por exemplo, estudantes de medicina para as investigações. A outra forma é a contratação ?ad hoc?,a confirmar depois por concurso público.O governo do Estado comprará mais carros para a Polícia, reformará viaturas policiais e restaurará delegacias especializadas. ODepartamento de Trânsito do Estado (Detran-TJ), chamado de ?primo rico? por Garotinho, vai financiar algumas iniciativas.Disputas - O novo secretário afirmou que não permitirá disputas entre as polícias civil e militar. ?Isso é uma coisa que vinha ocorrendo?,afirmou. Ele contou também que a governadora Rosinha Matheus, sua esposa, decidirá amanhã se vai exonerar o chefe da Polícia Civil, ÁlvaroLins, e o comandante da PM, Renato Hottz. As polícias passarão a trabalhar unificadas, inclusive com o sistema penitenciário. ?O Ministério Público será chamado em outro momento para integrar (o sistema unificado)?, disse a governadora. Toda a estrutura de comando das polícias estará funcionando em um único prédio, noCentro do Rio, daqui a seis meses.Garotinho contou que a PM fará a ?intensificação maciça do policimento? nas Linhas Amarela e Vermelha e na Av. Brasil. A PM também fará a ocupação das comunidades próximas a essas vias para que a Polícia Civil, em seguida, faça varreduras à procura de armas nesses locais. ?Queria pedir um voto de confiança à população?, disse Garotinho, lembrando que estava arriscando a sua carreira política e Itagiba a suareputação profissional com os novos cargos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.