Garotinho diz que situação do Rio é de "descontrole"

O secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, admitiu nesta quarta-feira que a situação no Rio é de ?descontrole?: ?Existe uma situação de descontrole e tentar negar isso é negar a realidade?, afirmou o secretário, que anunciou, mais uma vez, medidas para conter a escalada da violência.Nesta quinta-feira, ele e a governadora Rosinha Matheus se reúnem com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, para tratar da liberação de R$ 40 milhões para o reaparelhamento das polícias estaduais.A declaração de Garotinho foi feita em entrevista à rádio CBN, de manhã. À tarde, ele tentou mudar o tom do discurso: ?Não é que o Estado esteja sem controle. Mas surgiu um novo tipo de atitude criminosa diferenciada. O ladrão de carro quer roubar carro. O que pretende alguém que dispara contra um hotel, joga bomba num shopping ou atira do alto do morro contra uma estudante??, disse, referindo-se aos recentes atentados de traficantes e ao ataque à Universidade Estácio de Sá, em que a aluna Luciana de Novaes foi ferida gravemente. ?Essa modalidade nova de crime precisa ser compreendida e vencida. Nenhuma polícia está preparada para enfrentar isso.?Entre outras medidas, o secretário anunciou a criação de núcleos especiais de policiais dentro de cada batalhão da PM que serão treinados nos moldes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) ? grupo de elite que atua em situações de risco, como confrontos armados com traficantes.Serão 21 Grupos de Ação Tática (Gats) na Região Metropolitana, num total de 630 policiais (30 por unidade da PM), que começarão a ser treinados na semana que vem e deverão estar nas ruas da Região Metropolitana do Rio em 90 dias.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.