Garotinho estréia programa de rádio e pede ajuda à população

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, estreou neste sábado um programa de rádio semanal pedindo aos ouvintes que o ajudarem na sua nova função de secretário estadual de Segurança. Nas duas horas do programa "Encontro marcado com Garotinho", transmitido pela rádio Carioca, convidou todos para irem à sua posse no cargo na segunda-feira e repetiu diversas vezes o pedido de que as pessoas denunciem bandidos e maus policiais pelo Disque-Denúncia. Também lembrou que é o consumo de drogas que dá os recursos para os traficantes se armarem. "Se você quer ajudar o Garotinho, se você quer ajudar a sua família, cuide bem do seu filho e evite que ele use droga", afirmou. De acordo com ele, 700 mil entre os 10 milhões de habitantes do Rio usam drogas, o que torna "praticamente impossível acabar com o tráfico" na região. "A maior contribuição que podemos dar é parar de usar droga", disse.O político perguntava aos ouvintes que ligavam qual a primeira medida que tomariam contra a violência e comentava as sugestões, prometendo medidas como construir oito mil casas populares para policiais e fazer os comandos das polícias trabalharem em um mesmo prédio, no Centro do Rio. "Com a população vai continuar sendo beijinho, beijinho. Com o bandido é pau, pau", disse.Convidado do programa, o secretário de Segurança Josias Quintal, que perdeu o cargo para Garotinho e vai assumir seu mandato como deputado federal, trocou elogios com o político radialista. A governadora Rosinha Matheus, disse no ar que se o presidente Lula concordar na segunda-feira em que a União dê recursos ao Estado em troca de ativos do governo estadual a negociar, na quinta-feira paga o décimo-terceiro salário atrasado do funcionalismo. "O Lula é um trabalhador e isso vai chegar nos ouvidos dele", disse Garotinho, apoiando a esposa. Ele entrevistou também o deputado Alexandre Cardoso, presidente estadual do PSB, que criticou a proposta de Lula de instituir a contribuição previdenciária dos funcionários aposentados.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.