Garotinho muda titulares de 11 delegacias

Depois de trocar o comando de dez batalhões da PM, a Secretaria de Segurança Pública vai substituir também onze delegados. Entre os nomes que serão mudados está o de Renato de Carvalho Bezerra, titular da 6ª Delegacia de Polícia. Ele vinha investigando o ataque contra a Universidade Estácio de Sá, em que a estudante Luciana Gonçalves de Novaes foi baleada no rosto.O motivo da saída de Bezerra é a insatisfação quanto à apuração do crime, que, nesta segunda-feira, passou para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE).Oito dias depois do ataque, ninguém foi preso. O chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, também não gostou de ter sabido das imagens gravadas pelo circuito interno de TV da Estácio pelos jornais. Entre as outras delegacias que sofrerão mudanças estão as dos bairros de Tijuca, Méier e Engenho Novo, todos na zona norte do Rio de Janeiro, áreas onde é grande a concentração de favelas e são constantes os conflitos envolvendo traficantes de drogas.Oficialmente, o objetivo do troca-troca é agilizar as investigações. Garotinho disse que as mudanças, tanto na PM quanto na Polícia Civil, não foram motivadas por baixa produtividade, já que ele está há apenas duas semanas no cargo e ainda não houve tempo para avaliar se os índices criminais estão baixando.Ele informou que o critério para as substituições foi a ?eficiência e a probidade?. ?Mas não estou dizendo que os que estão saindo não são eficientes ou probos?, ressalvou.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.