Garotinho não quer mais punir polícia por entrar na Rocinha

Em menos de 24 horas, o secretário de Segurança Pública do Rio, Anthony Garotinho, mudou de idéia sobre a necessidade de punir quem descumpriu a proibição de realizar operações policiais na favela da Rocinha, em São Conrado (zona sul), durante o carnaval. Depois de revelar hoje que a ordem partiu do chefe do Estado Maior da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto Guedes, o secretário defendeu a atitude do oficial. A incursão feita pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da PM, na madrugada de domingo, resultou na morte de três adolescentes.?Eu sou ponderado. Não vou punir porque a intenção dele (Guedes) não era fazer uma incursão. Ele mandou que fosse feita umacontenção na mata, mas o Bope foi recebido a granadas e tiros?, disse Garotinho em seu gabinete, embora ontem tenhaafirmado: ?Vou apurar quem foi o responsável e puni-lo?. Segundo ele, o coronel ordenou a operação porque soube que, naquelamadrugada, a Rocinha seria invadida pela mata por um grupo de traficantes rivais. Garotinho justificou ainda que, ?em caso de emergência, o comandante tem que dar uma ordem?, e acrescentou que Guedesnão desacatou a sua determinação. ?Não é uma desobediência porque havia a iminência de um fato que poderia ocorrer. Ele tinha que tomar uma medida?, avaliou.Sobre a possibilidade de os adolescentes terem sido executados, garantiu que o caso está sendo investigado por umacomissão formada pela Secretária de Segurança Pública.?Há uma versão do Bope, de que eles (as vítimas) são traficantes, e há inúmeras versões, não só de familiares, de que eles não são. Estamos investigando?, declarou, ressaltando que três moradores da Rocinha fazem parte da comissão formada pelassecretarias de Segurança Pública e Direitos Humanos para apurar os fatos. De acordo parentes e representantes de ONG, osgarotos prestavam serviço em feiras da cidade e, pelo menos um deles, participava do programa Primeiro Emprego, do governofederal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.