Garotinho proíbe polícia de entrar na Rocinha por 60 dias

Policiais do Batalhão Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro foram proibidos de entrar na favela da Rocinha por 60 dias. A determinação foi anunciada pelo secretário de Segurança Pública, A nthony Garotinho, depois de reunião hoje, no Palácio Guanabara, com representantes dos moradores da Rocinha e familiares de três menores mortos durante uma operação do Bope no último fim de semana. Garotinho, segundo a Agência BRasil, enfatizou que a proibição não significa "uma trégua ao tráfico", pois o policiamento na favela será feito por policiais militares de outros batalhões. O secretário ressaltou que a decisão de suspender as ações do Bope na favela, localizada no bairro de São Conrado, na zona sul da cidade, foi tomada com base no bom senso, em razão da animosidade entre os policiais do Bope e os moradores da Rocinha.O secretário de Segurança Pública também anunciou a criação de uma comissão para investigar denúncias de violação dedireitos humanos praticados por policiais contra moradores da Rocinha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.