Garotinho volta a criticar Benedita

O pré-candidato do PSB à Presidência da República, ex-governador Anthony Garotinho, disse hoje que sua sucessora no governo fluminense, Benedita da Silva (PT), não sabe o que diz quando tenta justificar o recadastramento de empresas que recebem incentivos fiscais, decretado por ela esta semana. Segundo ele, a medida é uma "irresponsabilidade" que pode espantar empresas do Rio e que tem que ser revogada imediatamente. "Isso é incompetência, má-fé e cheira mal", afirmou Garotinho, após o lançamento do portal de sua candidatura (www.garotinho40.com.br) em um hotel da zona sul do Rio. O socialista acusou o governo de estar loteando inspetorias da Secretaria de Fazenda entre pessoas indicadas por petistas e disse que o titular da Fazenda, Nelson Rocha, foi pessoa de confiança do ex-secretário de Fazenda, Marco Aurélio Alencar, filho do ex-governador Marcello Alencar. "Voltaram a politizar a Secretaria de Fazenda. Acabaram com a inspetoria de grande porte, que fiscaliza as grandes empresas. Isso sinaliza para o mercado como a volta do varejo. Isso é grave." Segundo Garotinho, Benedita, ao acusá-lo de deixar um rombo no Estado, mostra que não sabe distinguir orçamento de arrecadação. "Ela não sabe o que é orçamentário e financeiro, devia ter alguém do lado dela explicando." O candidato disse que o que está escrito no decreto que manda recadastrar as empresas que recebem incentivos não é o mesmo que a governadora diz. Ontem Benedita declarou que somente as empresas que receberam os incentivos por intermédio de processo administrativo terão que se recadastrar. "Todos os processos são administrativos", disse ele. "Eles (petistas) têm tradição de espantar empresários. Já espantaram a Ford do Rio Grande do Sul." O ex-governador participará de almoço em comemoração aos seus 42 anos completados hoje.

Agencia Estado,

18 de abril de 2002 | 13h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.