Garoto com agulhas no corpo reage bem e até brinca

Criança enfrentou segunda cirurgia na quarta, 23; ao todo já foram extraídos 18 agulhas

Eliana Lima, de O Estado de S.Paulo,

24 de dezembro de 2009 | 15h35

Recupera-se bem o pequeno M.S.A, de dois anos e sete meses, que enfrentou na quarta-feira (23) uma segunda cirurgia para retirada de 14 das dezenas de agulhas introduzidas em seu corpo. Segundo a assessoria do Hospital Ana Neri, onde está hospitalizada o menino, ele já não está tão arredio, como se mostrava até então e até aceita pequenos gestos de brincadeiras com os médicos que o acompanham. Ao todo já foram extraídos 18 objetos metálicos do coração, pulmão, intestino, bexiga e fígado. Enquanto se recupera do procedimento cirúrgico, ele se alimenta apenas de líquidos.

 

M.S.A tem recebido muitos brinquedos de presente. O Hospital reservou uma sala para abrigar as doações da população que atende ao chamado de uma campanha de solidariedade cujo objetivo é arrecadar donativos extensivos também aos familiares do garoto - avó, de 70 anos e seus cinco irmão - que passam necessidade, na cidade de Ibotirama, interior da Bahia, onde mora a família. São brinquedos, gêneros alimentícios e roupas e sapatos.

 

A empresária Verena Rocha, 28 anos, decidiu presentear M.S.A com uma bicicleta, o brinquedo preferido do seu único filho, morto em junho deste ano, pouco antes de completar 3 anos. "Ela disse ter se sentido mais confortada a partir da doação e que o seu Natal já não será tão triste quanto prometia ser. Conforme contou, desde o acidente que vitimou o seu filho, a bicicleta estava num canto da casa, intocável. "Não iríamos doar, mas esse garotinho nos sensibilizou", contou.

 

Em Ibotirama, o juiz Antônio Marcos Tomás Martins, decretou a prisão preventiva de dois dos acusados da tentativa de homicídio contra o menino: o ex-padrasto dele, Roberto Carlos Magalhães Lopes, 30, que confessou ter enfiado as agulhas na criança, e da suposta amante deste, Angelina Capistana Ribeiro, acusada por Lopes de cumplicidade, mas que nega participação no caso. Uma segunda mulher, também detida por envolvimento no crime pode ser liberada ainda esta semana, por falta de provas.

Tudo o que sabemos sobre:
criançaagulhasSalvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.