Garoto do Leblon em estado grave

A polícia quer saber qual o calibre da arma e de onde partiu o tiro que atingiu Ugo Ronca, de 12 anos, quando jogava futebol no início da noite de sábado num clube no Alto Leblon, zona sul do Rio. O garoto, que está com a bala alojada na cabeça, continuava internado em estado grave ontem no Hospital Miguel Couto. A polícia fez uma vistoria no clube. Não se sabe se o tiro partiu de um prédio próximo ou de uma das favelas vizinhas - Vidigal ou Rocinha. O delegado Rafael Menezes informou que chapas das tomografias serão encaminhadas ao Instituto Carlos Éboli para saber se a bala é de fuzil, pistola ou revólver. A quadra onde Ugo jogava é alugada pelo clube para terceiros, e vizinhos reclamam do barulho das partidas. A família de Ugo se mudou há pouco tempo para Itaipu, em Niterói, para fugir da violência do Rio. Eles estavam em uma festa no clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.