Garoto é baleado e irmã acusa PMs de negarem socorro na zona norte do Rio

Irmã do menor afirma que os policiais passaram pelo local e nada fizeram; vítima corre risco de morte

estadão.com.br,

30 Abril 2012 | 05h46

SÃO PAULO - Ao supostamente sair de casa para comprar frutas, no início da noite de domingo, 29, logo após o final do jogo entre Botafogo e Vasco, partida válida pela final da Taça Rio, um adolescente de 14 anos foi baleado nas costas na Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, comunidade que, no último dia 18, ganhou uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). A vítima permanecia internada em estado grave no Hospital Municipal Salgado Filho, no Meier, também na zona norte.

 

Uma irmã da vítima, que pediu para não ser identificada, disse que policiais militares passaram pelo local e se recusaram a socorrê-lo. Segundo o capitão Márcio Ferreira Rodrigues, comandante da UPP de Nova Brasília, a família procurou os PMs na base da unidade e afirmou que o menor havia sido baleado. Segundo o oficial, a UPP não registrou nenhum caso de troca de tiros na região e o supervisor que estava de plantão checou o armamento e a munição de todos os policiais que trabalhavam naquele horário. Não se sabe ainda se o jovem foi atingido por um tiro disparado por um policial ou se o disparo partiu de traficantes remanescentes na comunidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.