Garoto é libertado após passar 20 horas em cativeiro

Um menino de 5 anos foi libertado na manhã desta sexta-feira, 8, em Hortolândia, no interior de São Paulo, depois de passar 20 horas em uma casa no Parque Orestes Ongaro, com pelo menos dois seqüestradores. O garoto foi levado de dentro de sua casa, na Vila Real, bairro de classe média, por volta de meio-dia de quinta-feira. Por volta de meio-dia desta sexta, a Polícia Militar prendeu o motorista de um Gol prata em Campinas, suspeito de roubar o veículo. A polícia de Hortolândia acredita que o homemidentificado como Fernando seja um dos seqüestradores. A família do garoto será chamada novamente para identificar o suspeitoO seqüestro da criança ocorreu após um homem armado entrar na casa na Vila Real e anunciar um assalto. Segundo a mãe da criança, cujo nome não foi divulgado pela polícia para preservar a família, o suspeito disse que levaria um dos três filhos e que o pai das crianças deveria pedir dinheiro ao dono da empresa para a qual trabalhava. A mãe segurou um bebê de nove meses e o seqüestrador levou o filho mais velho, de 5 anos e R$ 30. Saiu da casa, entrou num Gol prata em que estava outro homem e, por volta das 14h30 de anteontem, o dono da distribuidora na qual trabalha o pai do menino recebeu um telefonema e a exigência de R$ 8 mil em dinheiro. A família teria reconhecido a voz no telefonema como um conhecido do pai da criança.Segundo informou o delegado Peterson Tadeu Melo, a polícia passou a noite no Parque Orestes Ongaro, à procura do suspeito indicado pela família. Ontem, por volta de 8 horas, o menino foi deixado numa rua do bairro, perto da casa de um outro conhecido da família. O menino não sofreu nenhuma agressão e disse ter sido alimentado durante as horas que passou no cativeiro. Na última terça-feira, a polícia prendeu em Campinas Marcel Ivan Picolo, 22 anos, e Henrique de Souza Vieira, 21 anos, suspeitos de participarem do seqüestro do comerciante Leonardo Martini Cristiano, 19 anos, o sétimo seqüestro do ano na região de Jundiaí. Cristiano foi seqüestrado na segunda-feira, em frente a sua loja de carros, no bairro Vila Arens, em Jundiaí. Foi libertado um dia depois, em Cabreúva. A polícia informou que a família não pagou resgate e que outros dois suspeitos são investigados. PCCA polícia também prendeu nesta sexta-feira na região de Campinas nove suspeitos de colaborar com o Primeiro Comando da Capital (PCC). As prisões ocorreram em Nova Odessa, com a colaboração da polícia civil de Americana. Em cumprimento a mandados de prisão, foram detidas três pessoas por tráfico de drogas, uma pessoa por uso de documentos falsos, quatro por associação ao tráfico e formação de quadrilha e uma recaptura de pessoa procurada por roubo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.