Garoto é mantido refém por 4 horas em Belo Horizonte

Um assaltante manteve neste sábado por quase quatro horas um menino de 10 anos como refém no centro da capital mineira. Sílvio Barbosa Silva, de 22 anos, manteve o garoto Edgar Henrique da Silva sob a mira de uma arma após tentar assaltar uma loja de cosméticos e ameaçava atirar na cabeça da vítima. Depois de uma longa negociação da qual participou a Polícia Militar, o assaltante se rendeu e libertou o menino, que não sofreu ferimentos.O garoto foi levado para o Hospital de Pronto Socorro, onde passou por exames, e "Silvinho", como o assaltante é conhecido, foi preso e encaminhado para o Departamento de Investigações da Polícia Civil. Segundo o tenente coronel Rômulo Berbert Diniz, comandante do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) da Polícia Militar, por volta das 11h, o motorista Jordano Pechelene Martins Avelar, 23 anos, que tinha acabado de ser assaltado por Sílvio num semáforo, avisou ao policial militar Antônio Carlos de Moura, que passava pelo local, da presença do assaltante.Ao avistar o militar, ele disparou em sua direção, mas errou o tiro. Na fuga, sob a mira do policial, o assaltante rendeu primeiro a mãe de Edgar, Gláucia Limeira Franklin da Silva, 30 anos, e depois agarrou o menino, que também estava acompanhado do pai, José Armando da Silva. Sílvio permaneceu em frente à loja Emoreira, no número 331 da Rua Caetés, com um revólver calibre 38 apontado contra a cabeça do garoto. Uma multidão se formou para acompanhar o desfecho do caso.A polícia cercou o quarteirão e o comércio local fechou as portas. Atiradores de elite e várias viaturas da PM e o Grupo de Ações Tático Especiais (Gate), se deslocaram para o local. O clima era de tensão, já que o assaltante, de acordo com os militares, apresentava sinais de estar sob efeito de drogas. Os pais da criança ficaram em estado de choque. Silvinho fez várias exigências, entre elas a presença de um juiz. Um comandante da PM, à paisana, passou-se por um magistrado durante as negociações, o que ajudou no rendição do assaltante.Segundo a PM, Silvio cumpriu pena de quatro anos por tráfico de drogas na cidade de Minas Nova, no Vale do Jequitinhonha e foi solto há um mês. Ele é suspeito de ser o autor de um homicídio em Capelinha, no norte do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.