Garotos são "pichados" por policiais

Os irmãos V.B.A., de 12 anos, e V.M.A.N., de 14, tiveram seus rostos e corpos pichados, ontem à noite, no município de Osasco, na grande São Paulo, depois que uma lata de spray foi encontrada no bolso do mais velho. Dois policiais militares acusados da agressão foram reconhecidos pelos garotos e um inquérito foi instaurado para a investigação.Segundo o pai dos meninos, Vidal Moraes Affonso Filho, eles saíram da casa por volta das 21 horas e disseram para a mãe que iriam a uma festa. Os irmãos contaram que, antes, passaram no Wal-Mart Center, que fica na Avenida dos Autonomistas. Compraram uma lata de spray da cor preta, segundo eles, para pintar uma bicicleta. Na saída do hipermercado foram abordados por policiais militares. "Não conseguimos ver a placa ou o prefixo da viatura. Só notamos que o carro era um modelo Land Rover", disse A.N.Os policiais obrigaram os irmãos a deitar no assoalho da viatura. Depois de rodarem durante meia hora, pararam perto da linha ferrovirária, que fica no Largo de Osasco. Segundo os meninos, outra viatura chegou, desta vez uma Blazer. Ao todo eram seis policiais. "Eles pediram para os meninos tirarem a roupa", contou o pai. Os garotos contaram que foram agredidos pelos PMs, que pegaram a lata de spray e picharam os dois. Nada escapou: rosto, costas, peito, barriga, nádegas, braços e pernas. Depois ordenaram que o mais novo fosse embora. Aguardaram e depois liberaram o outro menino, orientando-o a seguir para o lado oposto. Já estava ficando tarde e Affonso Filho ficou preocupado com os filhos. Pegou o carro e saiu à procura dos garotos. Por volta das 23h30, encontrou A.N., que voltava para casa.Somente à 1h30 os dois encontraram o pai. Ele andava perdido, na Rua Bolonha, no bairro do Jaguaré. "Mal conseguiam andar por causa da dor que sentiam", contou Affonso Filho.Eles foram para a delegacia Seccional de Osasco, onde o caso foi registrado. O delegado Francisco Pereira Lima contou apenas com a versão do pai dos meninos para elaborar o boletim de ocorrência.O delegado registrou um boletim de ocorrência de abuso de autoridade e lesão corporal dolosa. Os meninos foram encaminhados para o 5. Batalhão da Polícia Militar de Osasco para tentar reconhecer os envolvidos. O coordenador operacional do batalhão determinou o comparecimento dos policiais ao quartel, onde dois deles foram apontados pelos adolescentes.Os PMs acusados foram afastados do trabalho e foi aberto um inquérito policial para apurar o caso. Os adolescentes foram encaminhados para o Instituto Médico Legal para exame de corpo de delito.

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2002 | 17h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.