Gás tóxico mata ao menos 4 pessoas em frigorífico no Mato Grosso do Sul

Vazamento do produto ocorreu após explosão na Mafrig de Bataguassu; mais de 20 ficaram feridos

João Naves, especial para O Estado de S.Paulo, atualizado às 17h56

31 Janeiro 2012 | 14h44

CAMPO GRANDE - Quatro trabalhadores morreram e ao menos 24 ficaram feridos por causa do vazamento de um gás ocorrida nesta terça-feira, 31, no Frigorífico Marfrig, instalado em Bataguassu, leste de Mato Grosso do Sul. Uma explosão provocou o acidente que aconteceu logo depois de 11h no curtume do frigorífico.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, ao chegar na empresa foram encontradas várias pessoas desmaiadas e com parada respiratória. O comandante da corporação, coronel Ociel Ortiz Elias, disse que os quatro operários que morreram estavam em um lugar alto observando o descarregamento de ácido dicloro-propiônico em um tanque subterrâneo quando houve uma explosão de baixa potência, e seguido jatos de gás diretamente sobre eles, que caíram desmaiados.

De acordo com Ociel, além das quatro mortes, quatro operários foram transportados para um hospital em coma induzido, em situação mais grave. Os outros 20 feridos foram atendidos em hospitais da cidade e região por causa da intoxicação e 15 ainda recebiam atendimentos médicos no fim desta tarde.

Em nota, o Marfrig confirmou o vazamento de um produto, mas diz não saber qual, e que "a causa do acidente está sendo apurada". Há possibilidade de que no tanque receptor do gás, existia uma outra substância ainda não analisada o que provocou a explosão. "Informações preliminares indicam que houve uma reação química decorrente de manipulação de insumos inerentes da atividade de curtume", disse o comunicado da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.