Gasolina alta: frentista é agredido por agente da PF

Uma situação inusitada foi provocada pelo reajuste da gasolina nanoite de ontem, em Ubatuba, no Litoral Norte Paulista. Oagente da Polícia Federal do Rio de Janeiro, Júlio César de Almeida, de 43 anos, agrediu o frentista Gilberto Luiz da Silva, 42, por não concordar com o preço da gasolina aditivada, no valor de R$ 2,18 o litro.Por volta das 22h30, o agente foi até o Posto Kamomé, localizado no km 50 da BR 101 e pediu que o tanque de seu veículo ? uma camionete Dakota ? fosse completado com gasolina. ?Ele saiu do carro e quando voltou me deu R$100,00. Como o abastecimento havia ficado em R$92,00, voltei o troco e ele começou me ameaçar? afirmou Silva. Segundo o frentista, o agente o acusava de ter roubado no preço do litro da gasolina. ?Ele gritou, disse que eu estava roubando, que ele era agente federal e que estava armado. De repente, ele me deu um soco no rosto, entrou no carro e fugiu?, relatou o frentista. Silva trabalha na profissão há 15 anos e afirmou que todo aumento de preço provoca revolta nos consumidores, masque ninguém nunca chegou a esse ponto. ?O pessoal reclama, mas depois se acostuma. Agressão assim foi a primeira vez?. Testemunhas que estavam no posto ligaram para a polícia e o agente foi detido em seguida, ainda na BR 101. Com o agente a polícia encontrou uma pistola 9 milímetros e uma espingarda calibre 12, que foi apreendida por falta de documento. O veículo dele também ficou na delegacia por estar com a documentação irregular. O agente foi liberado e terá que responder por agressão física.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.