Gasto com cooperação externa dispara na era Lula

Apesar de ainda ser modesto em comparação a outros países, que gastam bilhões em seus programas de cooperação, o orçamento da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) cresceu de forma vertiginosa no governo Lula - passou de R$ 4,5 milhões em 2003 para R$ 52,5 milhões este ano e R$ 92 milhões em 2011. A maior parte da cooperação se dá por meio de transferência de tecnologias e capacitação de pessoal em agricultura, biocombustíveis, saúde. A cooperação é vista como estratégica pelo governo. "A cooperação melhora o raio da ação internacional brasileira, que não fica limitada à América Latina, podemos receber apoios em foros internacionais em defesa de temas desde direitos humanos até negociações comerciais, na ONU e em meio ambiente", diz o embaixador Piragibe Tarragô. Segundo Farani da ABC, a cooperação técnica é um instrumento importante de política externa. "O País precisa assumir suas responsabilidades como uma potência econômica emergente."

Patrícia Campos Mello, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.