Gaúchos reparam estragos sob ameaça de mais chuva

Cerca de 85 mil residências ainda estão sem energia elétrica, 20 mil pessoas estão desalojadas

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

21 Novembro 2009 | 13h25

Dois dias depois de devastar diversas regiões do Estado, o temporal de quinta-feira segue provocando transtornos para milhares de pessoas no Rio Grande do Sul. Neste sábado, cerca de 85 mil residências ainda estavam sem energia elétrica, 20 mil pessoas permaneciam desalojadas ou desabrigadas e o número de municípios que decretaram situação de emergência chegou a 27, com a inclusão, na lista, de São Jerônimo e Sapucaia do Sul.

Veja também:

linkSobe para oito número de mortos em temporais no Sul

 

Apesar de uma trégua na sexta-feira e no sábado, os temporais podem voltar na madrugada e manhã deste domingo. Os serviços de meteorologia indicam a possibilidade de chuvas fortes, com eventuais rajadas de vento, em áreas isoladas do norte e noroeste do Estado. Isso já ocorreu neste sábado em Uruguaiana e Quarai, no sudoeste do Estado, onde a Defesa Civil começou a monitorar o rio Uruguai, que subiu oito metros e ameaça invadir casas construídas perto de suas margens.

Na região central, a água que caiu nas cabeceiras chegou às regiões baixas dos rios, que ameaçam transbordar. Em Rosário do Sul, equipes da Defesa Civil removeram moradores das margens do Rio Santa Maria para abrigos municipais.

Muitos moradores do litoral norte e veranistas que têm casas na praia aproveitaram a manhã de sábado para consertar os cerca de 11 mil telhados destruídos total ou parcialmente pela ventania de quinta-feira em Tramandaí, Capão da Canoa, Balneário Pinhal, Xangri-Lá e Osório.

Mais conteúdo sobre:
chuvas Rio Grande do Sul estragos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.