Gaviões da Fiel perde seis pontos

Os problemas que a Gaviões da Fiel enfrentou no sambódromo na abertura do carnaval paulistano custaram seis pontos à escola. Foram dois por causa do atraso, dois por mostrar o símbolo do Corinthians e outros dois por fazer merchandising. O presidente da Gaviões, Wellington Rocha, conhecido como Tonhão, disse que o desfile foi muito bom, apesar dos problemas. "Durante todo o ano, enfrentamos várias dificuldades. O importante aqui é ter visto o pessoal alegre e sorrindo quando a escola passou." Quanto ao atraso de um minuto, anotado pelo relógio do sambódromo, Tonhão disse que não sabe se realmente estourou o tempo, pois o portão seria fechado exatamente com o fim do horário. Ele disse que, se realmente passaram o tempo, a escola vai perder pontos conforme determina o regulamento. Um dos diretores de harmonia da escola, Sandro Silva Pinto, disse que aceleração no final é comum em todo o desfile e que acreditava que a escola não seria prejudicada. A bateria da escola entrou na dispersão quando faltava quatro minutos para o fim do prazo. Atrás dela ainda havia pouco menos da metade da escola para passar pela dispersão. O diretor-geral de carnaval da escola, Dentinho, afirmou que a escola vai discutir com a liga, já que segundo ele não havia nem um tipo de merchandising no desfile da Gaviões.

Agencia Estado,

25 Fevereiro 2006 | 01h42

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.