General assume comando do Estado Maior

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, empossou o general José Carlos de Nardi como primeiro chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas. O cargo foi criado após aprovação da lei complementar que redesenhou o Ministério da Defesa e o adequou à Estratégia Nacional de Defesa.

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2010 | 00h00

O ocupante do novo posto, equiparado hierarquicamente aos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, será responsável por exemplo pelo emprego das Forças Armadas em exercícios conjuntos.

Na área de preparação de Exército, Marinha e Aeronáutica caberá aos comandantes de Força. "Dividimos claramente as tarefas", afirmou Jobim. "Não haverá conflito de autoridade porque haverá separação de atribuições. As Forças ficam com o preparo e o Estado Maior com o emprego e com os exercícios comuns."

Onze anos. Pouco antes, em seu discurso, Jobim disse que as mudanças visam "dar transparência" às ações do ministério. "A agenda da Defesa passou a integrar a agenda nacional e, portanto, a nossa responsabilidade aumentou. A nossa prestação de contas com a sociedade também aumentou ", afirmou o ministro, ao lembrar que o novo desenho da pasta ocorre 11 anos depois da criação do Ministério da Defesa.

Segundo Jobim, é mais um passo na consolidação do ministério, que tem um civil à frente, como determina a Constituição Federal, que prevê subordinação das Forças Armadas e dos poderes militares ao poder democrático civil. "Não é contra ninguém, mas um trabalho com todos, a favor de todas as Forças", argumentou Jobim, ao comentar que ficou para trás o tempo em que não se queria discutir questões ligadas à Defesa, como na Constituinte, por causa do "imaginário de perseguição política".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.