Gesto de Marco Aurélio faz equipe reescrever discurso de Lula

Assessores de Lula foram gravados comemorando notícia de que acidente teria sido causado por defeito

Estadão,

20 Julho 2007 | 16h41

O Estadão apurou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua equipe modificaram o tom do discurso do presidente, nesta sexta-feira, após o polêmico gesto obsceno que seus assessores fizeram ao assistir a uma reportagem que mostra que uma das possíveis causas da tragédia do Airbus A 320 da TAM teria sido um defeito mecânico.   Veja também:    Assista à comemoração de Marco Aurélio Garcia no YouTube    Marco Aurélio desculpa-se e ataca interpretação da mídia Lista de vítimas do acidente do vôo 3054  O local do acidente  Quem são as vítimas do vôo 3054  Histórias das vítimas do acidente da TAM  Galeria de fotos  Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Cronologia da crise aérea  Acidentes em Congonhas  Vídeos do acidente  Tudo sobre o acidente do vôo 3054     O discurso de Lula será mais carregado no teor emotivo e menos técnico, diferente da teoria traçada pelo governo, após a detecção de um defeito no reverso da turbina da aeronave.   A mudança ocorrer depois que o assessor de Assuntos Internacionais da Presidência, ministro Marco Aurélio Garcia, foi filmado festejando, com um gesto obsceno, no seu gabinete, o noticiário do Jornal Nacional, da TV Globo, sobre o acidente. O Jornal Nacional noticiava um possível problema técnico no Airbus que realizava o vôo 3054.   O significado do gesto de Garcia parecia claro: a TAM se estrepou, melhor para o governo. Ao seu lado, o assessor de imprensa Bruno Gaspar foi ainda mais grosseiro. Fez um trejeito imitando o ato sexual.   No momento em que o âncora Willian Bonner dava a informação sobre os problemas com o reverso do avião, Garcia ajeitou os óculos e bateu a mão direita aberta sobre a mão esquerda fechada, três vezes. Essa imagem, exibida pelo Jornal da Globo, foi captada por um cinegrafista da emissora no gabinete do assessor, no 3.º andar do Palácio do Planalto.   Posteriormente, questionado sobre o gesto, o assessor diz que as imagens foram feitas à revelia.   "Essas imagens, que foram tomadas de forma clandestina, à revelia, de qualquer maneira os jornalistas têm direito de tomá-las, refletem concretamente minha indignação frente uma determinada versão que se queria passar à opinião pública que credita ao governo a responsabilidade de um acontecimento dramático. Eu digo indignação porque não se trata de a gente jogar a responsabilidade nas costas do governo. Trata-se de explorar uma tragédia em que morreram 200 brasileiros, pelo menos. Isso é uma reação privada que qualquer pessoa de bom senso teria neste momento."   A imagem da comemoração de García não mostra o aparelho de TV em que ele via o noticiário, mas coincide com o horário em que o Jornal Nacional estava no ar - e Bonner dava a informação dos problemas técnicos com o avião da TAM.

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.