Gestões anteriores também tiveram problemas

Das 2,2 mil cidades pesquisadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no fim de 2007, só 1,4% delas admitiram terceirização no fornecimento de merenda. Essa prática impedia o acesso a recursos federais. A alegação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), era de que, se todas as refeições fossem terceirizadas, o custo para os cofres públicos seria 71% maior do que se fossem preparadas nas escolas. Em São Paulo, a Prefeitura diz que é mais barato. Anteriormente, a compra pelo governo dos suprimentos também não inibiu as denúncias. Entre janeiro e fevereiro de 1997, a Prefeitura gastou R$ 778,4 mil (mais do que os preços de mercado, segundo o MP) na compra de 449,9 mil quilos de frango da empresa do cunhado do ex-prefeito Paulo Maluf. O caso foi parar na Justiça. Em 2001, o PSDB acusou a gestão Marta de dirigir a compra de 349 mil kg de feijão pré-cozido. O Tribunal de Contas do Município aprovou o processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.