Gigetto festeja 70 anos com direito a chá da tarde cultural

Cardápio do restaurante na Avanhandava inclui as presenças de Laura Cardoso e Wanderléa

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

23 Abril 2008 | 00h00

Assim que começou a reforma da Avanhandava, uma pequena rua com 140 metros de extensão no centro de São Paulo, uma de suas casas mais tradicionais entrou em obras. No meio do ano passado, o restaurante Gigetto já começava a se preparar para as comemorações dos 70 anos. Com salão novo, agora mais moderno e claro, abre hoje as atividades de aniversário com o dia do chá com cultura. "A idéia é transformar o tradicional chá da tarde num evento cultural ", diz a administradora da casa, Ana Paula Lenci. Para isso, todas as quartas-feiras, das 15h30 às 17h30 (R$ 32 por pessoa), haverá algum evento elaborado por uma estrela convidada, que terá direito a palco improvisado. Hoje é dia de Laura Cardoso. "Ainda não sabemos o que ela irá fazer. Disse que seria surpresa. Mas pode ser que leia um poema, por exemplo", diz Ana Paula. Na próxima quarta, quem se apresenta é a cantora Wanderléa, a Ternurinha da Jovem Guarda. O cardápio do chá foi elaborado por duas chefs, Nuhad Jundi Segré e Maria Silvia Bérgamo, autora de O Avental, Memórias de Cozinha. Além de aulas de culinária, a dupla dá consultoria em restaurante e em casas de famosos, como João Dória Júnior. Para elaborar o cardápio do chá, foram selecionadas cerca de 30 receitas clássicas, literalmente tiradas do baú. "São sugestões antigas, que revitalizamos, dando sabores mais fortes e atuais. É o caso do pudim de pão, que parece um suflê quando sai do forno", diz Maria Silvia. O restaurante recebeu a contribuição de muitos amigos, vizinhos, parentes e até de clientes que levaram receitas de família. TIPO MUFFIN Mas não espere por uma comilança desenfreada de um bufê de doces e salgados. O chá será servido sempre à mesa, com uma bandeja variada de porções de salgados especiais, como croque monsieur, e doces, caso do bolo de maçã com nozes, de chocolate com geléia de uva, fubá com erva doce e limão com semente de papoula. Há ainda carolinas e tarteletes, entre outras gostosuras. Tudo isso em tamanhos tipo muffin, possíveis de serem devorados em duas mordidas. Adquirida especialmente para o evento das quartas, a porcelana branca com filetes dourados que vai à mesa é da década de 60. As bandejas são de madeira branca rendada. Para arrematar, os chás foram harmonizados com o cardápio pela especialista Carla Saueressig, proprietária da franquia da Loja do Chá no Brasil, famosa por conhecer cada uma das 240 variedades que vende. Ela escolheu para o Gigetto sabores exóticos: natsukaori (chá verde com morango), earl grey (preto com bergamota) e amora silvestre (com pedacinhos da fruta, rosa mosqueta e hibiscos).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.