Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ginecologista acusado de morte se entrega à Justiça

O médico ginecologista Varderson Bullamah, acusado da morte da estudante Helen Buratti, de 18 anos, após uma cirurgia de lipoaspiração, se entregou à Justiça de Ribeirão Preto na tarde desta quinta-feira e foi levado para o anexo do 1ºDistrito Policial, onde ficou preso.A morte de Helen ocorreu no dia 5 de julho deste ano. No dia 13 de setembro, o médico teve a prisão preventiva decretada.Para se entregar, Bullamah procurou o juiz Luiz Augusto Freire Teotônio, da Vara de Execuções Criminais, de onde foi levado para a Delegacia Seccional de Polícia. Depois ele foi transferido para o 1º Distrito Policial, cujo titular, o delegado Marcos César Borges, presidiu o inquérito que provocou seu indiciamento por homicídio doloso.O delegado Marcos Borges disse que o médico se entregou porque estava cansado de se esconder. Nesta quinta mesmo, o advogado de Bullamah, Heráclito Mossin, deu entrada na Justiça com um pedido de habeas-corpus.O inquérito policial concluiu que o médico foi o responsável pela morte da estudante. O ginecologista já responde a processos na Justiça e no Conselho Regional de Medicina(CRM) do Estado de São Paulo.Em 1996, outras duas mulheres morreram depois dese submeterem a cirurgias de lipoaspiração na clínica do médico. O CRM já cassou o registro profissional do médico por tempo indeterminado, mas ele recorreu e conseguiu transformar a cassação em suspensão por um mês.Depois da morte da estudante, o CRM suspendeu o registro profissional dele por tempo indeterminado e abriu um novo processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.