Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Global Entry: Acordo facilita entrada de brasileiros nos EUA sem filas na imigração

Exigência de visto continua, mas será possível maior rapidez no controle de passaporte na chegada aos aeroportos

Eduardo Rodrigues e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2022 | 16h47

BRASÍLIA e  SÃO PAULO – Embora a exigência de visto não mude, os brasileiros passarão a ter a opção de ingressar nos Estados Unidos com mais agilidade. O governo anunciou nesta segunda-feira, 7, que o Brasil entrou no programa “Global Entry” (GE) – entrada global, em inglês – que dá mais rapidez no controle de passaporte na chegada aos aeroportos dos EUA.

Normalmente utilizado por viajantes frequentes aos Estados Unidos, o programa já está em vigor para outros 11 países. O Brasil será o terceiro país da América do Sul a participar do programa, já disponível para viajantes argentinos e colombianos. A lista ainda inclui Índia, Reino Unido, Alemanha, Panamá, Singapura, Coreia do Sul, Suíça, Taiwan e México.

Por meio do GE, os brasileiros também poderão escapar das longas filas de imigração nos Estados Unidos e fazer o controle de passaporte diretamente em quiosques automáticos – semelhantes aos instalados pela Polícia Federal nos principais aeroportos internacionais do Brasil.

Para participar, é preciso se cadastrar junto à Autoridade de Aduanas e Proteção de Fronteiras (CBP, na sigla em inglês), órgão norte-americano responsável pelo controle de entrada de estrangeiros naquele país. Além do pagamento de uma taxa de US$ 100, será preciso passar pelo crivo das autoridades americanas.

De acordo com nota conjunta do governo, a implementação do GE para cidadãos brasileiros foi coordenada pela Casa Civil e contou com o envolvimento dos Ministérios das Relações Exteriores, da Justiça e Segurança Pública e da Economia, assim como da Receita Federal e da Polícia Federal.

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A ENTRADA DO BRASIL NO GLOBAL ENTRY

Como funciona o Global Entry?

É um sistema que agiliza a entrada do viajante nos Estados Unidos, evitando as filas na imigração. O controle é feito por totens automáticos que fazem a leitura do passaporte, eliminando a necessidade de contato com os agentes de imigração.

Eu ainda vou precisar de visto para entrar nos EUA?

Sim, mesmo tendo o Global Entry, a exigência de visto continua a mesma.

Como faço para fazer o pedido do Global Entry para minha viagem?

Você precisa preencher um formulário no site do Programa de Viajantes Confiáveis e escolher a opção Global Entry. Aí você precisará ver se é elegível para o programa, preencher o formulário, pagar uma taxa e agendar uma entrevista.

Quanto custa para fazer o pedido de Global Entry?

Custa US$ 100, o equivalente a R$ 525.

Quais países fazem parte do acordo?

São 12 países no total - Brasil, Argentina, Colômbia, Índia, Reino Unido, Alemanha, Panamá, Cingapura, Coreia do Sul, Suíça, Taiwan e México.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.