Gol cancela escala e passageiros vão de ônibus a Ribeirão

Vinte e cinco passageiros da Gol que saíram de Recife com destino a Ribeirão Preto na madrugada deste sábado tiveram que terminar a viagem de ônibus. Após um atraso de quase três horas em Recife, o vôo 1905, que faria escala em São José do Rio Preto e em Ribeirão Preto, para então voar para São Paulo, teve sua segunda escala cancelada. A assessoria de imprensa da Gol informou que o cancelamento da escala foi uma "decisão operacional" da empresa para diminuir o tempo da chegada no destino final - São Paulo - e que o atraso em Recife ocorreu devido ao tráfego aéreo e ao efeito cascata dos atrasos dos últimos dias. Os 25 passageiros de Ribeirão Preto chegaram em casa em ônibus fretado pela empresa aérea, após o pouso na primeira escala, em São José do Rio Preto. A escala em Ribeirão Preto ocorreria às 5 horas, mas os passageiros chegaram ao aeroporto, cansados e irritados, após percorrerem cerca de 220 quilômetros de ônibus, por volta das 10h30. Houve a cogitação de que alguns registrariam boletins de ocorrência na Polícia Civil, para tentarem obter ressarcimento pelo trecho de avião não realizado, mas até esta tarde os dois plantões policiais não receberam queixas formais. Segundo informações do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), o Aeroporto Leite Lopes, em Ribeirão Preto, estava operando normalmente e a empresa Gol não emitiu comunicado oficial sobre o cancelamento da escala na cidade. O vôo teve a sua escala normal em São José do Rio Preto e depois seguiu para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A assessoria da Gol informou que os passageiros poderiam optar pela transferência de outro vôo para Ribeirão Preto, mas não citou qual seria esse horário alternativo. A empresa também não informou se os passageiros serão ressarcidos pelo vôo não concluído. A assessoria de imprensa da Anac informou que o órgão do governo pediu explicações à Gol porque quer evitar transtornos aos passageiros, principalmente nessa época, às vésperas do Carnaval. Se for constatada irregularidade no procedimento, a Gol poderá sofrer as medidas cabíveis, como multas, advertências e ressarcimentos aos passageiros. Em casos graves, empresas aéreas podem até perder as concessões de operações de vôos. Este texto foi alterado às 17h59.

Agencia Estado,

10 Fevereiro 2007 | 17h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.