Gol diz que já contatou familiares de todos os passageiros

A companhia aérea Gol informou, neste sábado, 30, que já entrou em contato com os familiares de todos os passageiros do vôo 1907, que saiu de Manaus para Brasília e que caiu no norte de Mato Grosso, no início da noite de sexta-feira, 29. A empresa está oferecendo auxílio material e psicológico. Em entrevista à imprensa, em São Paulo, o presidente da companhia, Constantino de Oliveira Júnior, afirmou que foi formado um centro de socorro às famílias, que prevê o atendimento de necessidades imediatas, como deslocamento dos familiares, pagamento de hotel e alimentação, cobertura de custos funerários e apoio psicológico. "Há profissionais especializados prestando apoio neste momento às famílias", afirmou o comandante David Barioni, vice-presidente técnico da Gol.De acordo com Baroni, as demais operações da Gol seguem normalmente, sem qualquer alteração. Na entrevista à imprensa, os diretores da empresa não quiseram discutir as possíveis causas do acidente, nem mesmo confirmar se a queda do Boeing 737-800 foi provocada por um suposto choque com uma aeronave Legacy, da Embraer. "As investigações são técnicas e demoradas e estão sendo conduzidas pelas autoridades aeronáuticas", afirmou Barioni, negando-se a contemplar possibilidades como falha no radar, nos dispositivos de segurança ou falha humana. "Não cabe aqui fazer especulações sem a conclusão das investigações", disse.Ele apenas assegurou que o local onde a aeronave caiu, a 200 quilômetros da base aérea da Serra do Cachimbo, no sul do Pará e norte de Mato Grosso, fazia parte da rota do vôo. E que as informações da empresa são de que a aeronave tinha altitude compatível com a rota (37 mil pés). O comandante Barioni também afirmou que não há informação de incêndio da aeronave.O Boeing 737-800 é a quarta aeronave de uma encomenda de 101 unidades feitas pela Gol à companhia americana, segundo informou Barioni. O avião que caiu foi entregue à Gol no dia 12 de setembro e tinha apenas 234 horas de vôo. Tinha capacidade para transportar 178 passageiros, mais a tripulação. Ainda segundo Barioni, o comandante do vôo 1907, que fazia a rota Manaus-Brasília, Décio Chaves Junior, tinha 44 anos, iniciou sua carreira em 1980 na Transbrasil. E, em 2001, foi contratado pela Gol - onde cumpria também a função de instrutor, dada a sua experiência. Ele tinha 15 mil horas de vôo, sendo 4 mil no Boeing 737.Sem citar prejuízosO presidente da Gol evitou fazer qualquer comentário a respeito dos prejuízos - financeiros ou de imagem - que a companhia pode sofrer em decorrência do acidente. O episódio da queda do Boeing 737-800 vem interromper uma sucessão de boas notícias para a companhia, que teve uma trajetória de crescimento expressivo em poucos anos de operação (a empresa foi fundada em 2001). Indagado pelos jornalistas sobre o prejuízo que a companhia contabilizará com a queda do avião e, de forma específica, na imagem da empresa junto ao mercado e à opinião pública, Constantino disse que essa questão não será discutida por ora. "Estamos mais empenhados em apoiar e suportar as famílias. O valor de empresa não é o mais importante", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.