Gol lidera reclamações de funcionários do setor aéreo em julho, diz sindicato

Sistema que impede que tripulantes excedam limite de horas de voos previsto por lei causa atrasos

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

02 de agosto de 2010 | 18h39

SÃO PAULO - O Sindicato Nacional dos Aeronautas informou que a Gol foi campeã de reclamações no mês de julho, quando implantou um novo sistema de processamento das escalas dos pilotos e comissários. O sistema que impede que os tripulantes excedam o limite de horas de voos previsto por lei e consequentemente fiquem sobrecarregados de trabalho causou atrasos e cancelamentos acima do normal.

 

Veja também:

linkAnac pede explicação a Gol sobre atrasos

linkEm SP, Juizado recebe 150 queixas contra aéreas

 

De acordo com Carlos Camacho, diretor de Segurança de Voo do sindicato, 95% das 345 reclamações feitas por funcionários do setor aéreo no mês passado foram atribuídas a Gol. Camacho afirmou que antes do novo sistema a empresa aérea e a TAM eram responsáveis por 70% das reclamações.

 

Entre 0h e às 18 horas desta segunda-feira, 2, 53.9% dos 622 voos da companhia sofreram atrasos. Outros 77 (12.4%) foram cancelados. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), das 1772 partidas previstas em todo o país, 454 (25.6%) tiveram atraso e 103 (5.8%) foram canceladas.

 

Em nota, a Gol destacou que "trabalha intensamente para normalizar a situação de seus voos: acionou tripulantes extras e destacou equipes de monitoramento nos aeroportos". Além do sistema, a empresa disse que o problema foi provocado pelo tráfego aéreo intenso, com retorno de férias escolares.

Tudo o que sabemos sobre:
setor aéreoGolaeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.