Gol pede a clientes que adiem viagens pelo menos até segunda

No dia 30 de julho, a empresa deve lançar uma nova malha de vôos por causa das intervenções do governo

Teo Takar, da Agência Estado,

24 Julho 2007 | 17h20

A Gol está pedindo aos seus clientes que procurem adiar suas viagens pelo menos até a próxima segunda-feira (30/7). A empresa acredita que, até lá, o fluxo normal do tráfego aéreo será restabelecido.   "A Gol manterá seus serviços para atender aos clientes que necessitem viajar imediatamente e para levar a seus destinos aqueles que ficaram retidos nos últimos dias", diz a companhia, em nota.   Em sua primeira manifestação oficial desde o acidente com o Airbus da TAM, a GOL considera que o momento é "um dos mais críticos da aviação brasileira".   "Não há palavras para expressar a frustração da GOL por não conseguir manter a programação de vôos e o bom atendimento, embora os motivos da atual situação estejam além de sua responsabilidade. A crise que envolve a indústria da aviação no Brasil tem gerado atrasos e transtornos inaceitáveis", afirma a empresa aérea.   Devido à redução do volume de pousos e decolagens do aeroporto de Congonhas determinada pelas autoridades, a GOL informa que implantará, a partir de segunda-feira (30), uma nova malha de vôos. Essa reorganização implica transferência de parte dos vôos operados em Congonhas para o aeroporto de Guarulhos.   A relação desses vôos estará disponível no site www.voegol.com.br. A companhia informa ainda que todas as remarcações em função da crise aérea estão isentas de taxas e pagamentos adicionais.

Mais conteúdo sobre:
crise aérea aeroportos caos no ar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.