Gol sugere 'boca fechada' e revolta comissários

Para sindicato, tudo leva a crer que esse seja um recado para que irregularidades não sejam denunciados

Beth Moreira, da Agência Estado,

21 de agosto de 2007 | 17h38

Um comunicado interno Gol em que o chefe de cabine da companhia, Maurício Saraiva, sugere que pilotos e comissários devem ficar de "boca fechada para ter êxito na vida" causou indignação na categoria. Segundo informações do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), tudo leva a crer que esse seja um recado "bem dado" para que irregularidades de âmbito trabalhista ou de segurança não sejam denunciados à sociedade.O diretor da secretaria de comissários do SNA, Marcelo Garcia, destaca que o acidente com o Airbus da TAM, ocorrido em 17 de julho, aflorou as irregularidades do setor, como a carga excessiva de trabalho, entre outros problemas e que o recado lhe pareceu uma tentativa da empresa de acuar os trabalhadores para que essas irregularidades não venham à tona.Em comunicado, o sindicato critica ainda que recentemente os aeronautas da companhia se surpreenderam com o "açoite" que a administração da Gol promoveu em relação aos salários dos comissários e vôo e pilotos. Garcia explicou que, há cerca de três meses, a empresa concedeu aumento de mais de 40% no pagamento da hora variável dos comandantes, mas não estendeu o benefício aos co-pilotos e comissários, o que criou mal-estar no grupo.O diretor do sindicato disse que o assunto, inclusive, será um dos temos a serem discutidos com a empresa nos próximos dias. Garcia explicou que o tema não foi discutido anteriormente, porque logo começa o período de convenção coletiva, já que a categoria tem a data-base em 1 de dezembro. A Gol foi procurada, mas informou por meio da sua assessoria de imprensa que não iria se pronunciar sobre o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
Gol Linhas Aéreascrise aérea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.