Goldman ganha vaga em conselho de estatal de SP

Integrantes do PSDB, o ex-governador Alberto Goldman e o ex-secretário estadual de Meio Ambiente Xico Graziano ganharam novas vagas nos conselhos de administração de empresas ligadas ao governo de São Paulo.

Julia Duailibi, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2011 | 00h00

No fim de abril, Goldman foi indicado para fazer parte do conselho de administração da Sabesp, empresa responsável pelo fornecimento de água e tratamento de esgoto de 364 municípios. O ex-governador, que foi antecessor de Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes, fazia parte do conselho de administração do Metrô desde o começo do ano. Além de Goldman, foram indicados para compor o conselho da companhia até abril de 2012 dois secretários estaduais: Sidney Beraldo (Casa Civil) e Andrea Calabi (Fazenda).

Coordenador do programa de governo de José Serra (PSDB) na campanha à Presidência da República em 2010, Graziano foi indicado também em abril para o conselho da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), operadora do sistema hidráulico e gerador de energia elétrica na região metropolitana de São Paulo. O tucano já fazia parte do conselho da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb).

O ex-ministro da Justiça José Gregori, que foi responsável pelo comitê financeiro da campanha presidencial tucana de 2010, já era conselheiro da Emae e foi indicado novamente para o colegiado, eleito no mês passado. O mandato é de dois anos.

Em março, o Estado publicou reportagem mostrando que o governo paulista usou cargos a quem tem direito nos conselhos de administração de empresas estatais para abrigar filiados do PSDB. Na época, o Palácio dos Bandeirantes defendeu as indicações, destacando o currículo e a experiência dos conselheiros.

Os honorários pagos nos conselhos, que variam de R$ 3.500 a R$ 4.500 por mês, servem de complemento salarial para secretários e assessores do governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.