Goleiro Bruno chora durante visita da avó

Visita durou cerca de 10 minutos e foi assistida e autorizada pela Secretaria de Defesa Social; atleta está preso há vinte dias em penitenciária em Contagem-MG

Eliane Souza, especial para O Estado

27 de julho de 2010 | 18h51

BELO HORIZONTE - O advogado Ércio Quaresma disse nesta terça-feira, 27, que o goleiro Bruno chorou muito durante a visita da avó que o criou, Stela Trigueiro de Souza. O goleiro está preso há vinte dias na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG) por suspeita de envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio, sua ex-amante. Segundo Quaresma, o jogador "está suportando no limite a situação".

 

A visita durou cerca de 10 minutos, e foi assistida e autorizada pela Secretaria de Defesa Social. O atleta e os demais suspeitos presos são monitorados por uma equipe de outra penitenciária mineira, de Unaí. Eles foram proibidos de usar determinados equipamentos para evitar o vazamento de imagens dos presos.

 

Ércio Quaresma informou, que viaja ainda hoje para o Rio de Janeiro e se reúne amanhã com a diretoria do Flamengo. Ele vai cobrar do clube o pagamento dos salários atrasados do goleiro Bruno Fernandes. Quaresma deve entregar aos diretores uma procuração para provar que pode representar o atleta em qualquer lugar do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.