TJ-MG
TJ-MG

Goleiro Bruno perde benefício após ser flagrado em bar com mulheres

Decisão põe o ex-jogador de volta ao regime fechado no presídio de Varginha e pode atrapalhar a progressão de pena

Rene Moreira, especial para o Estado

19 de outubro de 2018 | 17h55
Atualizado 19 de outubro de 2018 | 18h41

FRANCA - A Justiça cancelou nesta sexta-feira, 19, o benefício de trabalho externo do goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza. A decisão foi tomada um dia após a divulgação de um vídeo que mostra o ex-jogador em um bar com duas mulheres e uma lata de cerveja na mesa. 

O estabelecimento fica em uma instituição parceira da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac), onde ele prestava serviços. Com a medida, o ex-atleta retorna ao regime fechado no presídio de Varginha, no sul de Minas Gerais, mesma cidade do flagrante. 

Ele cumpre pena desde 2010 pela morte de Eliza Samudio e tinha previsão de ser beneficiado com o semiaberto e deixar a cadeia nas próximas semanas, mas esse problema pode prejudicar a decisão sobre o pedido de progressão de pena.

A determinação sobre o fim do direito de poder sair para trabalhar partiu da 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais de Varginha. 

A defesa do goleiro alega que ele não cometeu nenhuma irregularidade, já que o caso teria acontecido em seu horário de descanso e ele não teria tomado cerveja no local.

Tudo o que sabemos sobre:
Goleiro Bruno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.