Governador de Sergipe ordena remoção de 300 presos no carnaval

Numa decisão inédita, o governador de Sergipe João Alves Filho (PFL) determinou que o secretário de Justiça e Cidadania, Emanuel Messias Cacho, procure um prédio público do Estadopara abrigar, em caráter emergencial, 300 presos. Isso porque a Casa de Detenção de Aracaju, que já abriga 640 pessoas, mas tem capacidade para 180, começou a receber outras 130 pessoas que estavam em xadrezes das delegacias metropolitanas da capital e interior.É que em função do carnaval em diversas cidades do interior, a Secretaria de Segurança Pública ficou sem opção: ou mantinha os policiais tomando conta de presos e deixava a população sem segurança durante a folia ou faria a transferência.O secretário Emanuel Cacho disse ao governador João Alves que a Casa de Detenção pode entrar em colapso a qualquer momento, pois o prédio não tem nenhuma estrutura e, por diversas vezes a juíza da Vara de Execuções Criminais ameaçou interditá-lo. Nesta sexta-feira pela manhã, Cacho já deverá informar ao governador João Alves qual o prédio escolhido para transferir os presos, até que seja encontrada uma solução definitiva. Enquanto os presos chegavam de diversas delegacias da capital, nesta quinta, a direção da Casa de Detenção descobriu que os presidiários haviam cavado um túnel de oito metros e planejavam uma fuga em massa, possivelmentedurante o carnaval. Na semana passada, em virtude da superlotação, um presidiário, que tentava controlar a unidade, foi morto pelos colegas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.